Os Melhores Conteúdos
De Marketing Digital

Tudo que sua empresa precisa para se posicionar e vender.

User Experience (UX): Definição, como aplicar e exemplos

user-experience-ux.jpg

O que é User Experience ou design de experiência do usuário (UX)?

User Experience (UX) é o design que as equipes usam para criar produtos que fornecem experiências relevantes e significativas para os usuários. O UX envolve o design de todo o processo de integração e aquisição do produto, incluindo aspectos de marca, design, usabilidade e funcionalidades.

 

O que designers de UX fazem está além do design da interface ao usuário

O “User Experience Design” é constantemente usado com termos como “User Interface Design” e “Usabilidade”. Mas enquanto a usabilidade e design de interface do usuário (UI) são aspectos significativos do design do UX, o design do UX também abrange uma série de outras áreas. Um designer de user experience se preocupa com todo o processo de integração e aquisição de um produto, incluindo aspectos de marca, design, usabilidade e função. Essa história inicia bem antes do dispositivo estar disponível para o usuário

Os produtos que são projetados com base nos conceitos de user experience UX (como o iPhone por exemplo) são projetados não apenas com o uso ou consumo do produto, mas também com base em todo o processo de aquisição, posse e até na solução de problemas dos usuários. Dessa maneira, os designers de UX (User experience) não estão centrados somente na criação dos produtos que atendam funções básicas, eles se concentram em vários aspectos da experiência do usuário, como eficiência, prazer, status e outros.

Por consequência, existem várias definições que podem retratar o que é uma boa experiência do usuário. Uma boa experiência do usuário é aquela que resolve às necessidades de um usuário atendendo muito mais do que suas expectativas, estejam essas relacionadas ao funcionamento do produto ou ao que ele pode proporcionar.

 

Os profissionais de User Experience consideram o porquê, o quê e como

Todo e qualquer designer de user experiencie deve considerar o como, o que e o porquê usar o produto. O Porquê esta relacionado ao que motiva os usuários para procurar por um produto, seja para realização uma atividade que desejam realizar com ele ou a valores e sentimentos que um usuário pode associar à propriedade e uso do produto. O que está relacionado ao que as pessoas podem fazer com o produto – suas funcionalidades. Para finalizar, o Como esta relacionado ao design das funcionalidades de uma forma acessível e esteticamente agradável. Os designers de user experience iniciam sempre com o Por que antes de determinar o Quê e, por fim, o Como para criar produtos pelos quais usuários podem formar experiências qualitativas. Em projetos de software, será preciso garantir que o produto chegue através de um dispositivo que já exista e ofereça uma experiência uniforme e fluída.

 

O UX Design é voltado ao usuário

Como deve ter notado, o design de UX envolve a jornada do usuário completa, e um campo multidisciplinar – os designers de user experience tem uma variedade de origens diferentes, como design visual, psicologia, programação e outros.

Projetos para usuários humanos também significam que você precisa trabalhar com um escopo robusto com relação a acessibilidade de acomodar limitações físicas de vários usuários em potencial, como por exemplo a leitura de textos pequenos. As tarefas típicas de um designer de UX podem variar, mas normalmente incluem pesquisa de usuários, criação de persona, projeto de wireframes, além de protótipos interativos, e também os testes de design.

Tais tarefas podem ter uma variação muito de organização para outra organização, mas sempre exige que os designers atuem como defensores dos usuários e mantenham as necessidades deles no centro de todos os esforços de design, criação e desenvolvimento. É também por essa razão que boa parte dos designers de UX trabalham em alguma forma de processo de trabalho centralizado no usuário e continuam canalizando todos os esforços mais bem informados até solucionar todos os problemas relevantes e as necessidades do usuário.

 

A diferença entre UX e UI (design de interface)

Ao falar sobre UX, o termo design de interface do usuário (inevitável) surgirá inevitavelmente. No entanto, é importante reconhecer que, apesar de frequentemente serem usados ​​de forma intercambiável, UX e UI são duas coisas diferentes.

“O UX está focado na jornada do usuário para resolver um problema; A interface do usuário está focada na aparência e no funcionamento das superfícies de um produto. ”

– Ken Norton, sócio da Google Ventures, ex-gerente de produtos da Google

O UX não é o mesmo que design de interface de usuário. UI se refere à interface real de um produto; o design das telas nas quais o usuário navega ao usar um aplicativo mobile ou os botões nos quais eles clicam ao navegar em um site. O design da interface do usuário se preocupa com todos os elementos visuais e interativos de uma interface do produto, cobrindo tudo, desde tipografia e paletas de cores a animações e pontos de contato de navegação (como botões e barras de rolagem). Você pode ler mais sobre o trabalho dos designers de interface do usuário aqui.

O UX e o UI estão sempre de mãos dadas, e o design da interface do produto tem um impacto enorme na experiência do usuário.

O design UX está em toda parte: o layout de um supermercado, a ergonomia de um veículo, a usabilidade de um aplicativo móvel. Embora o termo “experiência do usuário” tenha sido cunhado por Don Norman nos anos 90, o conceito de UX existe há muito mais tempo.

Para entender os princípios do design de UX, ajuda a explorar a história por trás dele.

 

2. A história do design de User Experience

Alguns dos princípios mais básicos do UX podem ser rastreados desde 4000 aC até a antiga filosofia chinesa do Feng Shui, que se concentra em organizar seu ambiente da maneira mais ideal, harmoniosa ou fácil de usar. Há também evidências que sugerem que, já no século V aC, as civilizações gregas antigas projetavam suas ferramentas e locais de trabalho com base em princípios ergonômicos.

No final do século 19, grandes pensadores e industriais como Frederick Winslow Taylor e Henry Ford começaram a integrar os princípios básicos do design da experiência em seus processos de produção. Em uma missão para tornar o trabalho humano mais eficiente, Taylor realizou uma extensa pesquisa sobre as interações entre trabalhadores e suas ferramentas – assim como os designers de UX hoje investigam como os usuários interagem com produtos e serviços.

Outra figura-chave na história da UX é o engenheiro industrial Henry Dreyfuss. Em seu livro Designing for People (1955), Dreyfuss fornece uma descrição muito precisa do que hoje conhecemos como design UX:

“Quando o ponto de contato entre o produto e as pessoas se torna um ponto de atrito, o [designer] falha. Por outro lado, se as pessoas se tornam mais seguras, mais confortáveis, mais ansiosas para comprar, mais eficientes – ou simplesmente mais felizes – pelo contato com o produto, o designer conseguiu. ”

– Henry Dreyfuss, Engenheiro Industrial

No início dos anos 90, o cientista cognitivo Don Norman ingressou na equipe da Apple como seu arquiteto de experiência do usuário, fazendo dele a primeira pessoa a ter user experience em seu cargo. Ele criou o termo “design da experiência do usuário” porque queria “cobrir todos os aspectos da experiência da pessoa com um sistema, incluindo design industrial, gráficos, interface, interação física e manual”. Desde então, cada uma dessas áreas se expandiu para especializações próprias. Atualmente, há uma tendência crescente para as empresas contratarem funções muito específicas, como pesquisador de UX ou designer de interação, para cobrir todos os diferentes aspectos da experiência do usuário.

Durante séculos, os seres humanos têm procurado otimizar seus arredores para o máximo conforto do usuário. Atualmente, o termo design UX tem fortes conotações digitais, geralmente se referindo a aplicativos, sites, software, gadgets e tecnologia.

 

3. Disciplinas de design de UX: o modelo de quadrante

User Experience é um termo que abrange várias áreas e pode ser dividido em quatro disciplinas: Estratégia de Experiência (ExS), Design de Interação (IxD), Pesquisa de Usuário (UR) e Arquitetura de Informação (IA).

disciplinas de design de ux 

 

Estratégia de Experiência (ExS)

O design de UX não é apenas a respeito do usuário; também agrega grande valor ao negócio que fornece o produto ou serviço. Estratégia de experiência esta totalmente relacionado com a elaboração de uma estratégia de negócios holística, incorporando as necessidades do cliente e as da empresa.

 

Design de interação (IxD)

O ID (Design de Interação) avalia como o usuário interage com um sistema, considerando todos os elementos de interação, como animações, botões e transições de página. Os designers de interação procuram criar designs intuitivos que permitem ao usuário concluir sem esforço tarefas e ações principais.

 

Pesquisa de Usuário (UR)

O design de User Experience tem como objetivo identificar um problema e projetar a solução. Esta atividade requer uma grande pesquisa e feedbacks de clientes em potencial ou já existentes. Durante esta fase de pesquisa, os designers de UX lançam pesquisas, conduzem entrevistas e testes de usabilidade e criam personas de usuário para entender as necessidades e objetivos do usuário. Eles coletam dados quantitativos e qualitativos e os usam para tomar boas decisões a respeito de design. Aprenda a conduzir pesquisas sobre a experiência do usuário aqui.

 

Arquitetura da Informação (IA)

A Arquitetura da informação é a prática de organizar informações e conteúdo de maneira acessível e significativa. Isso é fundamental para auxiliar os usuários na navegação em um produto. Para determinar a IA de qualquer produto, os arquitetos de informação consideram o relacionamento entre diferentes conjuntos de conteúdo. Eles também prestam muita atenção ao idioma usado e garantem que ele seja convincente e consistente.

Dentro dessas quatro áreas, há uma série de subdisciplinas. O design da experiência do usuário é muito mais do que apenas um caso de desenho e wireframing. É um campo multidisciplinar, que se baseia em elementos da ciência cognitiva e psicologia, ciência da computação, design de comunicação, engenharia de usabilidade e muito mais.

 

4. O que um UX Designer faz?

“Como explico o que faço em uma festa? A versão curta é que digo que humanizo a tecnologia. ”

– Fred Beecher, diretor da UX, The Nerdery

Os designers de UX buscam tornar os produtos, serviços e tecnologia do dia a dia o mais amigáveis ​​e acessíveis possível. Eles empregam o design thinking visando conciliar desejos dos usuários com viabilidade comercial e viabilidade técnica. O diagrama abaixo mostra o Processo de Design Thinking, adaptado da escola d.school. O Processo de Design Thinking pode ser dividido em quatro estágios diferentes: inspiração, conceitualização, iteração e exposição.

processo design thinking

 

Durante a fase de inspiração, o designer de UX procura entender e observar. Para fazer isso, eles realizam uma extensa pesquisa e análise da concorrência, a fim de compreender completamente o problema ou o desafio que estão tentando resolver. Isso envolve entrevistar aqueles que estão ou serão diretamente envolvidos com o produto.

O designer de user experience então usa esse feedback para identificar as metas, emoções, pontos de dor e comportamentos do usuário. Toda essa informação ajuda a formar personas de usuário. O próximo passo é considerar o que essas personas estão tentando realizar ao usar um produto específico, e a jornada que elas farão para fazê-lo. O designer considera a arquitetura da informação e usa várias técnicas, como a classificação de cartões, para mapear os fluxos de usuários.

Após a determinação dos fluxos do usuário, o designer sabe quais etapas o usuário precisa executar para concluir as tarefas desejadas. Eles farão um brainstorming visual de soluções para cada uma dessas etapas, criando wireframes e protótipos de como será o produto final.

Com os protótipos em mãos, o designer do UX realizará testes de usabilidade para ver como os usuários interagem com o produto. Isso mostra se o usuário pode ou não concluir as tarefas desejadas ou se é necessário fazer alterações.

Os designers de UX não apenas apresentam soluções para os problemas dos usuários; eles também precisam apresentar suas ideias e projetos às principais partes interessadas, como parte de seu trabalho diário.

Esta é apenas uma ampla visão geral do processo de design do UX. Na realidade, as tarefas variam de acordo com o tamanho e as necessidades específicas da empresa. Empresas maiores podem empregar uma equipe de designers, cada uma focada em um aspecto específico do processo, como pesquisa ou design visual. Em empresas e startups menores, não é incomum o designer de UX usar muitos chapéus diferentes e assumir todo o espectro de tarefas.

Não importa em que produto ou serviço eles estejam projetando ou em que estágio do processo eles estejam, os designers de UX se perguntarão as seguintes perguntas:

  • O produto é utilizável? É lógico, autoexplicativo e fácil de usar?
  • O produto ou serviço resolve um problema existente do usuário?
  • É acessível para diferentes categorias de usuários? Você pode ler mais sobre acessibilidade no design abaixo.
  • O produto ou serviço é desejável? Isso cria uma experiência positiva que o usuário ficaria feliz em repetir?

 

Ferramentas de Design UX

Os designers de UX confiam em várias ferramentas diferentes enquanto realizam seu trabalho. No estágio de pesquisa e inspiração, eles usarão ferramentas de pesquisa e sondagem, bem como software de bate-papo por vídeo, para entrevistar usuários e coletar o máximo de informações possível.

Existem também programas específicos para wireframing, prototipagem e testes de usabilidade, com o Balsamiq, o InVision e o usabilityHub entre os mais populares do setor. Além dos programas específicos de design, os designers também usam ferramentas de comunicação e gerenciamento de projetos para acompanhar o seu trabalho o tempo todo.

 

Em que tipos de projetos os designers de UX trabalham?

À medida que a indústria de tecnologia cresce, o campo do design de UX está se tornando cada vez mais variado. Os designers de UX podem trabalhar em uma ampla variedade de projetos em vários contextos. Aqui estão apenas alguns aplicativos para o design de UX.

 

Design de site, aplicativo e software

Na era da internet e dos smartphones, a usabilidade de um site, aplicativo móvel ou software determinará amplamente seu sucesso no mercado. Juntamente com os designers de interface do usuário, os designers de UX são responsáveis ​​por garantir uma experiência on-line tranquila para o usuário. De sites de comércio eletrônico a aplicativos de namoro, de software de CRM a clientes de e-mail baseados na Web, toda e qualquer jornada online que você realiza foi cuidadosamente projetada por um profissional de UX.

 

Voice Design

As interfaces de usuário de voz estão revolucionando a maneira como interagimos com a tecnologia. Uma pesquisa realizado nos Estados Unidos, e não deve ser diferente no Brasil, mostrou que cerca de 50% dos adultos usam a pesquisa por voz diariamente, e a ComScore estima que, até 2020, 50% de todas as pesquisas serão baseadas em voz. Os designers de UX têm um papel enorme a desempenhar na ascensão da voz, pois produtos como o Amazon Alexa só podem ter sucesso se forem amigáveis ​​e acessíveis para as massas. O design para voz requer uma abordagem um pouco diferente da de sites e aplicativos.

 

Realidade Virtual (VR) e Realidade Aumentada (AR)

Com o mercado global de VR estimado em cerca de 27 bilhões de dólares até 2022, os designers de UX serão cada vez mais obrigados a projetar experiências imersivas. Da mesma forma, desde o surgimento da mania de Pokemon Go, a realidade aumentada também vem avançando no mercado. Cada vez mais, os designers de UX precisam adaptar sua abordagem para garantir que as tecnologias mais recentes sejam acessíveis e amigáveis.

 

Design de Serviços

O design UX não se aplica apenas a objetos tangíveis e produtos digitais; experiências também precisam ser projetadas. É aqui que entra o design do serviço. Conforme explicado na Wikipedia : “Design do serviço é a atividade de organizar e planejar pessoas, comunicação, infraestrutura e componentes materiais de um serviço, a fim de melhorar sua qualidade e a interação entre o provedor de serviços e seus clientes. O design do serviço pode funcionar como uma maneira de informar as alterações em um serviço existente ou criar um novo serviço inteiramente. ”

Sempre que você compra um café, fica em um hotel ou usa transporte público, sua experiência é o resultado do design de serviços, e a metodologia de design de serviços é muito semelhante à do design clássico de UX.

 

Quais são as habilidades mais importantes em design de UX?

Os designers de UX vêm de todas as esferas da vida e você não precisa necessariamente de um diploma universitário para entrar em campo. Os empregadores tendem a procurar uma mistura de habilidades de design, perspicácia nos negócios e habilidades pessoais. Alguns requisitos que você verá frequentemente nas descrições de tarefas do designer do UX incluem:

  • Proficiência na criação de histórias de usuário, personas, sitemaps, wireframes, protótipos e storyboards;
  • Capacidade de planejar e conduzir testes de usuários, pesquisas e avaliações formais;
  • Capacidade de iterar seu trabalho com base em dados de teste do usuário e feedback qualitativo;
  • Compreensão dos princípios de design de interação e arquitetura da informação;
  • Capacidade de traduzir metas, objetivos e dados em experiências digitais;
  • Compreensão das métricas de negócios e como seus projetos contribuem para o desempenho;
  • Fortes habilidades de comunicação e apresentação; capacidade de articular e discutir suas decisões de projeto com clientes e partes interessadas;
  • Flexibilidade e adaptabilidade.

O que conta como essencial ou desejável variará dependendo da empresa e da natureza da função.

 

User Experience Exemplos

Para ficar ainda mais claro o conceito, vamos mostrar na prática exemplos de user experience reais de empresas que estão preocupadas com seus usuários:

 

1. Duolingo: derrubando fronteiras

user experience exemplos duolingo

 

O Duolingo deseja te ajudar a aprender um novo idioma, que é uma tarefa que te desafia e pode parecer quase impossível. Após três perguntas simples, os usuários já estão começando a aprender um novo idioma e estão com uma meta para este aprendizado. Essa abordagem sem atrito é contrária a muitos concorrentes.

 

2. Paypal: Simplicidade é a palavra-chave

user experience exemplos paypal

 

Antes do Paypal lançar seu novo site em 2014, o site era bastante complexo. De lá para cá, o Paypal está tornando cada vez mais simples o site e a experiência com aplicativos para dispositivos móveis. Eles estão aplicando as principais leis de simplicidade de John Maeda: redução, organização, posicionamento, criação de contexto, adição de significado e economia de tempo.

 

3. MailChimp: Humanizar a Tecnologia

user experience exemplos mailchimp

 

O MailChimp dá uma cara à sua aplicação web, embora não humana. Seu mascote, um chimpanzé chamado Frederick von Chimpenheimer IV (ou Freddie para abreviar), aparece em toda a interface, adicionando humor, toca a boca e uma conexão emocional com os usuários.

Essa humanização da tecnologia adiciona profundidade à experiência estéril e francamente chata de gerenciar seu marketing por email. O aplicativo se torna menos como uma ferramenta e mais como um membro da equipe com quem você está trabalhando para realizar o trabalho.

 

4 Starbucks: Tornando Pessoal

user experience exemplos starbucks

 

A Starbucks usa personalização inteligente em seu aplicativo móvel para pedidos on-line, entendendo o histórico e os padrões de compra dos usuários. Os seres humanos são criaturas de hábitos e geralmente pedem a mesma coisa repetidamente ou alternam a partir de uma pequena lista de coisas.

Portanto, para a maioria das pessoas, é mais fácil escolher o que você deseja em uma lista de itens encomendados anteriormente do que em um menu completo. Eu uso o aplicativo Starbucks pelo menos uma vez por semana e raramente uso a opção para o menu completo, olho para a guia “Em destaque” para ver se há algo novo e, em seguida, seleciono o que quero nas “Recentes” aba.

 

5. Google: carregando super rápido desde 1997

user experience exemplos google

 

O carregamento rápido sempre foi uma prioridade para o Google, em suas mais diversas ferramentas. Mas é especialmente importante para o comércio eletrônico. Ser rápido e eficiente ajuda os usuários a obter o que desejam sem esperar. O site da Google Store é carregado em pouco mais de um segundo, o que é bom porque cada segundo extra que um usuário precisa esperar aumenta a probabilidade de sair.

A Google Store não é apenas um carregamento rápido. Também é eficiente. O processo de checkout permite que o usuário mude sem atritos do carrinho para a confirmação. O Google sabe se você é um usuário novo ou que está retornando, mesmo que não esteja logado, para que não se incomode em perguntar se você é um usuário novo / que está retornando ou se deseja se registrar / continuar como convidado. Todas essas perguntas desnecessárias dificultam o check-out do usuário.

 

6. Yelp: tudo que pode ser encontrado

user experience exemplos yelp

 

O Yelp faz muitas coisas certas, as quais resultam em uma descoberta excepcional. Primeiro, eles usam padrões inteligentes usando sua localização atual, permitindo pesquisar e fornecer uma lista de opções pesquisadas com frequência. Na página de resultados da pesquisa, uma combinação de análises e filtros úteis ajudam o usuário ao destino perfeito. O Yelp também usa o Google Maps para usuários que têm uma região geográfica específica em mente.

O mapa ajuda o usuário a refinar sua pesquisa (rosquinhas de cinco estrelas em um raio de dois blocos). O uso do Google Maps também proporciona uma sensação de familiaridade instantânea para a maioria dos usuários. Quem não usou o Google Maps? Na página de detalhes do local, você pode obter rapidamente todas as informações necessárias, incluindo horários, menus, rotas, principais críticas e dicas. Além disso, o Yelp agora está dando um passo adiante e permitindo que você solicite a coleta ou entrega.

E você, se inspirou nesses exemplos de User Experience?

Adriano Luz


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com * Required fields are marked *


Este site utiliza cookies para armazenamentos de dados de visitação para melhorar sua experiência.
Open chat
1
Olá, Você deseja resultados para seu negócio?